Composição de valor do frete rodoviário – TDE

A TDE, Taxa de Dificuldade de Entrega, tem como objetivo principal cobrir riscos financeiros não previstos e está ligado diretamente ao local do destinatário e tempo de descarga.

Diferentemente da cobrança do Frete Valor ou do GRIS, em que é possível fixar uma porcentagem sobre o valor do produto, a pode ser cobrada ou não em um mesmo local. Isto dependerá de alguns fatores. Veja a seguir alguns deles:

– Entrega exclusiva: Locais que não permitem a entrada do veículo com outras mercadorias. Normalmente são locais com restrições de segurança;

– Agendamento: Recebimento com hora marcada, janela de horário e/ou necessidade de chegada com antecedência;

– Ordem de chegada: Locais com grande fluxo de e filas sem critério de prioridade para veículos ou produtos. Geralmente Centros de Distribuição e grandes redes comerciais;

– Descarga demorada: Quando exige equipamento de movimentação especial ou a descarga requer cuidados adicionais. Comum com de grande porte ou peso acentuado;

– Exigência de separação dos produtos e volumes: Necessidade de coleta de número de série ou lote, preparação de pallets e identificação com etiquetas. Característico em Supermercados, Hipermercados, Centros logísticos.

Por que existe a TDE?

Como já vimos anteriormente, o cálculo do frete é feito com base no peso, volume, valor, distância, impostos e generalidades, porém um outro importante fator neste cálculo é a performance, ou seja, quanto tempo um veículo demora para realizar determinado número de diárias. É aí que entra a TDE, para compensar o custo da hora parada, (veículo, motorista e ajudante) e evitar os prejuízos por improdutividade.

Como negociar a com as transportadoras?

É preciso entender como a transportadora cobra esta taxa. Se, para algumas, a cobrança é feita de acordo com um pré-cadastro do CNPJ do destinatário que é regularmente atualizado ou empresas de um mesmo grupo empresarial, para outras a cobrança ocorre apenas quando o veículo fica parado efetivamente. Importante saber que ambos poderão trazer problemas nos controles dos seus fretes, pois em alguns casos a cobrança poderá ser desnecessária ou até mesmo uma surpresa.

Siga nossas dicas abaixo para reduzir os custos com a TDE:

– Sempre que possível, confirme com seu cliente se há algum procedimento especial ou restrição de horário para entrega.

– Se o agendamento for inevitável, negocie o repasse do valor da TDE com o comprador/destinatário;

– No caso de atendimento por ordem de chegada, em alguns casos, verifique com o cliente se o recebimento poderá abrir exceção para poucos volumes e prioridade do material. E vale sempre a pena a tentativa de informar a sua transportadora e pedir a isenção da taxa;

– Produtos que exigem conferência minuciosa e coleta de dados, como número de série e lote, podem ser negociados entre o cliente/destinatário e a transportadora. Estudando a alternativa de envio dos dados previamente, por arquivos, e os volumes organizados de maneira onde as etiquetas de identificação fiquem visíveis para conferência, seja visual ou por coletores de código de barras. 

Para entender melhor sobre a TDE e tudo sobre logística, entre em contato com a FRETE CLICK ®. Somos especialistas em Logística de Frete, Plug-in de frete para e-commerce e Sistemas para Gestão Logística.

 Querendo saber sobre fator de cubagem, clique aqui.

Mas, se você ainda tem dúvidas sobre documentos fiscais para o transporte, saiba mais clicando aqui.

No entanto, precisando saber mais sobre as funcionalidades de ter um Gateway de Fretes, clique aqui.

Fiquem atentos e continuem acompanhando novos conteúdos da FRETE CLICK®!

Falar com consultor
Olá, como podemos ajudar?